E-commerce

Estoque terceirizado: será que serve para o seu e-commerce?

Entenda alguns modelos de como trabalhar com estoque terceirizado e se algum deles serve para o seu e-commerce.

andrea

08 de dezembro de 2020

Uma das principais barreiras ao se criar um e-commerce é a formação de estoque. Exige certa experiência, conhecimento do mercado, contato de fornecedores, de operadores logísticos de qualidade e know how para lidar com a sua gestão. Muitas perguntas já vem na cabeça do empreendedor: quantos produtos de cada modelo devo comprar? Onde posso armazenar meu estoque? Como devo gerenciá-lo?

Realmente uma má gestão de estoque pode causar alguns transtornos para o empresário e para a sua marca, como produtos encalhados, falta de mercadoria, demora ao separar os pedidos, atrasos na entrega, entre outros. Uma solução encontrada para evitar esses problemas é terceirizar o estoque

Existem algumas formas de trabalhar com estoque terceirizado e é sobre isso que vamos tratar a seguir.

O que é estoque terceirizado?

Como o próprio termo já diz, estoque terceirizado é trabalhar com o estoque de um terceiro. Então, quando uma empresa vende produtos que estão armazenados e são geridos por um terceiro, o estoque é terceirizado.

Existem algumas formas de trabalhar com estoque de fornecedores, dentre as quais destacamos:

Vamos a elas:

Estoque consignado:

Nesse modelo, um fornecedor (consignante) cede uma quantidade pré-acordada de mercadorias para um lojista (consignatário), por um determinado período. O consignatário (lojista), ao final do contrato, pode devolver os produtos que não foram consumidos para o consignante (fornecedor), que geralmente é um fabricante, distribuidor ou importador, sem precisar pagar por eles.

Há, então, uma transferência de posse temporária, embora as mercadorias continuem sendo propriedade do fornecedor (consignante).

O estoque consignado, por sua vez, pode ficar armazenado com o fornecedor (consignatário), com o lojista (consignante) ou com um operador logístico, em um armazém geral, dependendo da operação do e-commerce.

Cross-docking:

Na operação de cross-docking, o lojista faz o pedido para o fornecedor, o fornecedor envia para um centro de distribuição, ou para um operador logístico contratado, e de lá segue direto para o cliente, sem precisar ficar armazenado. O operador logístico pode combinar o pedido com produtos de outros fornecedores, reorganizar, reembalar, ou simplesmente ser contratado por ficar mais próximo dos consumidores e, assim, reduzir o valor de frete.

Já tratamos de forma mais detalhada sobre cross-docking aqui no blog da Stokki. Se quiser entender mais sobre essa operação é só clicar neste link

Dropshipping:

Nessa modalidade o lojista é apenas um intermediário entre fornecedor e cliente, sendo basicamente um revendedor de produtos. Ele se responsabiliza pela oferta em seu site, cuida da parte visual, do marketing, das vendas, do atendimento ao cliente e do pagamento, mas todo o resto do processo, como formação e armazenamento de estoque, separação, embalagem e entrega é feito pelo fornecedor.

O dropshipping se diferencia do cross-docking pelo fato do produto não passar nenhuma vez pela mão do lojista.

Nos modelos de estoque consignado e dropshipping há a vantagem de não precisar investir no produto até que ele seja comprado. Porém, principalmente no dropshipping, a margem de lucro é mais baixa e existe pouco espaço para negociação, já que os pedidos são normalmente feitos um a um.

Cross-docking x dropshipping: entenda a diferença desses dois processos.

Como funciona o estoque terceirizado?

Grosso modo, o estoque terceirizado funciona da seguinte maneira:

  1. O cliente faz a compra na loja virtual;
  2. A loja virtual notifica o estoque terceirizado/fornecedor sobre o produto comprado;
  3. O fornecedor separa o produto e o prepara para envio;
  4. O produto é enviado diretamente para o cliente ou para o lojista fazer a remessa final.

Quais são as vantagens de trabalhar com estoque terceirizado?

  • Não há a necessidade de investimento em estoque físico: como o estoque é um capital imobilizado da empresa, é um recurso que pode ser investido em outras áreas. Sem contar todos os outros custos que envolvem a sua formação, como armazenagem, depreciação, avarias, entre outros;
  • Facilidade em testar a venda de novos produtos: trabalhando com o estoque terceirizado você pode testar a venda de novos produtos em sua loja virtual, sem se preocupar se ficarão encalhados ou não; 
  • Possibilidade de ofertar uma ampla variedade de produtos: segue o mesmo raciocínio do item anterior, como a formação de estoque é terceirizada, você não precisa se preocupar em comprar muitos produtos de muitos tipos e ficar com estoque encalhado. Você só vai precisar ofertá-los;
  • Alta disponibilidade de produtos, já que a oferta é controlada pelo seu fornecedor e normalmente eles já têm conhecimento da sua demanda e do seu estoque; 
  • Redução de custos com as operações logísticas: armazenamento, mão de obra, maquinário, inventário, sistema operacional, com a terceirização do estoque todos esses custos também serão terceirizados para o seu fornecedor ou operador logístico;
  • Você pode dedicar o seu tempo para cuidar do que realmente importa para o seu negócio: vender.

Quais são as desvantagens do estoque terceirizado?

  • Complexidade na operação de cross-docking: essa operação exige uma expertise e um alto nível de comunicação entre todas as empresas envolvidas na cadeia: fornecedor, operador logístico, distribuidor e lojista;
  • Problemas com fornecedor: já que o seu negócio depende do controle e gestão do seu fornecedor, caso ocorra alguma falha no processo, como atraso na entrega, problemas com trocas e devoluções, ou falhas de comunicação sobre disponibilidade de produto, isso poderá prejudicar a sua marca;
  • Margem de lucro mais baixa, em função da negociação da quantidade de produtos ser menor e por toda a operação logística (ou quase toda) ficar a cargo do fornecedor.

Será que o estoque terceirizado serve para o seu e-commerce?

Como visto, o estoque terceirizado é uma alternativa para reduzir custos de logística, poder testar novos produtos e oferecer uma alta variedade de mercadorias, sem precisar se preocupar em alugar um armazém, montar uma equipe especializada, ou ter prejuízos com uma má gestão de estoque.

Porém, é necessário firmar parcerias com fornecedores de confiança e investir em um sistema integrado de software de gestão, que nem sempre cabe no bolso de quem está começando. Também é importante alinhar em contrato as responsabilidades e deveres de cada parte, como a questão de trocas e devoluções, já que isso pode afetar bastante o seu negócio.

Por outro lado, trabalhar com o estoque de um terceiro é um bom estágio para aprender sobre a demanda do seu e-commerce, conhecer seu público e o seu mercado, sem arriscar comprar o que não deve ou mais do que precisa, mesmo que a margem de lucro seja mais baixa.

Gostou deste artigo? Então leia outros posts como esse e fique por dentro de informações sobre gestão de estoque, gestão e logística no blog da Stokki.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Assine nossa newsletter

Quer receber conteúdos como estes em primeira mão? Assine a newsletter da Stokki e receba informações exclusivas sobre armazenagem, logística, gestão e muito mais

Close Bitnami banner